domingo, 8 de agosto de 2010

Há muito...muito Tempo....

Olhem o que encontrei no meu baú de relíquias!!

São bilhetes de cinema com cerca de 30 anos, que custavam 50$ em 1981, que saudades!! E que boas recordações!!
Como diz o outro "como eu fui feliz neste cinema!!"

Eu era uma jovem de 17/18 aninhos, tinha começado a namorar, mas com muitas restrições, sim... porque naquela altura era tudo muito diferente de hoje, era com dias marcados e para sairmos sozinhos era um castigo, a maior parte das vezes não nos deixavam!!
Sempre que podíamos, íamos ao cinema, mas tinha que ser à matiné, para não andarmos na rua à noite, porque os vizinhos podiam ver e falar, uma menina não podia andar na rua à noite (a mentalidade dos mais velhos, era mesmo assim!).
O cinema era o sitio ideal para namorar, sem ter os pais por perto, os filmes ficavam para 2º plano.
Depois de casar ainda fui algumas vezes, mas não era a mesma coisa, faltava aquele gostinho do proibido!!
Estavam na moda os filmes Indianos, aqueles que faziam chorar até as pedras da calçada, o pessoal até soluçava dentro do cinema!! mas era sempre lotação esgotada!

O Cine-Teatro em Alverca já não existe, era um edifício antigo mas muito bonito. Além do cinema com sessões diárias durante a semana e duas sessões ao fim de semana, realizavam-se também muitos espectáculos de Música e Teatro, passaram por lá muitas Revistas à Portuguesa,
que vinham do teatro ADOC de Lisboa.

Além do cinema, havia também as matinés dançantes nos Bombeiros, no Futebol Clube de Alverca , e noutras colectividades aqui da zona, eu ia quase sempre, adorava dançar!! as mães também íam, mas nós íamos sempre dançar para o lado oposto da sala!!

Hoje em dia, não há nada disso, Alverca não tem animação nenhuma, é como um dormitório, quando chega ás 10/11 horas da noite, as ruas ficam desertas.

Apesar de termos pouco, eramos Felizes, aproveitavamos muito bem todos os momentos.
Os jovens de hoje, são uns insatisfeitos com a vida, porque não tem o computador XPTO, porque não tem o carro XPTX com GPS, nada os satisfaz, não dão valor ás coisas simples da vida!!

Já vai longo este meu post, hoje deu-me para o saudosismo, mas faz bem recordar, especialmente os momentos felizes.

Beijinhos

12 comentários:

Teresa disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Teresa disse...

Olá, prima, adorei os bilhetes. Eu também tinha imensos mas acho que já os perdi pelo caminho... Gostei especialmente da parte em que dizes que depois de casada perdeu o encanto inicial, sem o gostinho do proibido... Quanto aos jovens de hoje, parece-me que é mesmo verdade, têm tudo muito facilmente e dá nisso; mas pelo menos já podem ir dançar sem as mães atrás. LOL Olha agora eu já velha a andar atrás da miúda eheheh
Beijocas,
TeresaP

IsaLenca disse...

Que giro....também recuei ao ler este post. Tenho tudo guardao num saco: os bilhetes, as bases dos copos quando íamos beber a um bar, até as palmeirinhas com dedicatórias que colocavam nos coktails....quem sabe ainda escreverei o meu livro - mas só para mim e maridão:)

Por caso Alverca cresceu imenso mas não sabem aproveitar as potencialidades de lá morara tanta gente e de muitos- como eu- que deixam o carro na estação (penso que é das poucas estações com estacionamento à borla).

Mas, agora, o cinema também é caríssimo e com tanta oferta muitas vezes está às moscas. Agora até há a 3D...é giro...mas...caríssimo também.
Eu como fui habituada a cinema ao ar livre ía também quase a qualquer hora- em Angola as pessoas já pensavam de maneira diferente- nunca tive essa preocupação de me importar com o que os outros diziam ou pensavam. Por cá pensam mesmo de maneira diferente (e lá no fundo acho que ainda não mudou muito- ainda há quem se importe). Mas já estou como a TP - andar atrás dos filhotes? Só que faltava! Ainda diziam mal de mim! :))

Graça disse...

Pois é prima!!
já somos como as velhotas do anúncio "eu ainda sou do tempo..."
Era tudo muito diferente, mas era a realidade que conheciamos, e viviamos bem com ela.
Como diz a Isalenca, se agora nos vissem atrás das filhas, ainda falavam era mal de nós, e coitadinhas das miúdas...passavam cá por umas vergonhas!!
beijinhos

Graça disse...

Olá Isalenca,
Acho que era boa ideia escreveres um livro de memórias, era a tua história, para depois contares aos teus netos.
Eu também costumava guardar tudo, agora já não ligo, quando ando em arrumações, vai tudo para o lixo.

Não há parques de estacionamento pagos, em Alverca, é tudo à borla! temos vários e bem espaçosos, como o do recinto da feira, o das piscinas e outros.
É pena realmente, estar tudo mal aproveitado, não há nada para os jovens, nem para os menos jovens, a não ser o banco do jardim.
beijinhos

Natália disse...

É pá
Vocês são mesmo velhas
Ainda são do tempo em que o arroz carolino custava 25 tostões hihihihih
Eu não tenho nada disto.

No meu tempo tempo já era tudo com multibanco.

Adoreiiii
Beijinhos

Tens que ir conhecer o meu menino,ele não está nos C 130,está noutro novo,não me lembro o nome
Mas o menino é Paulo Fera

Janine disse...

Que giros, os bilhetes! ;)
Um beijinho, querida Graça!

O Baú do Xekim disse...

Olá Graça.

Continuação de boa semana.

Beijinhos.

Graça disse...

Olá Natália,
velhos são os trapos!! O desgraçado do relógio é que não pára um bocadinho!! é tudo tão rápido!!
Eu já vi o teu menino duas vezes à saída, mas foi ao longe, é muito giro o "miúdo", não é nada parecido contigo, hihihi!
beijinhos

Graça disse...

São relíquias Janine!! já são mais velhos do que tu!!
Beijinho Grande

Graça disse...

Olá Xekim
continuação de boa semana para si também
beijinho

O Baú do Xekim disse...

Olá.

Um lindo e feliz fim de semana.

Beijinhos.